Da série: Descobrindo BH com o Papo de Adolescente

Piquenique AMR-02

Piquenique do Aperfeiçoamento da AMR

Na manhã do sábado, dia 24/10/2015, a equipe do Aperfeiçoamento da Associação Mineira de Reabilitação organizou um Picnic no Parque Municipal de Belo Horizonte! Todas as crianças, adolescentes e funcionários da instituição foram convidados e muitas pessoas compareceram! Não faltaram comidas, bebidas, brincadeiras e muita diversão! E de quebra ainda conhecemos um local tão tradicional de nossa cidade: o Parque Municipal! Até a TV Câmara compareceu para registrar esse momento tão especial!

Esperamos que mais confraternizações como essa aconteçam em breve!

Seguem abaixo alguns relatos sobre o evento:

“O Picnic foi no parque Municipal, o que foi muito legal, pois foi em um ambiente aberto, perto do lago e das árvores. Lá tinha muita gente conhecida e muitos amigos. Tinha muita comida boa também: bolo, torta, refrigerante e doce. Além disso, brinquei de batata quente e futebol.

O que eu mais gostei foi de encontrar com o Raphael e com os amigos que eu não via há muito tempo, além de fazer outros novos.

Eu gostaria que todos os participantes do grupo Papo de Adolescente tivessem ido para nos encontrarmos fora da AMR.

Para o próximo picnic sugiro que seja no parque Guanabara, porque tem mais brinquedos.”

Thiago (13 anos)

“Primeiramente, gostaria de agradecer ao Aperfeiçoamento por ter me proporcionado a oportunidade de encontrar tantas pessoas queridas em um só lugar, algumas delas, eu já não via a algum tempo. Além disso, foi uma manhã excepcional e muito divertida. Brinquei, comi e tive momentos muito felizes.

A decoração foi muito bem elaborada: colorida, viva e muito fofa. Bem como é o Aperfeiçoamento. A experiência de sair de casa e encontrar todos fora do ambiente de costume, é algo ainda meio novo pra mim… Adorei cada segundo! Espero fazer coisas do tipo outras vezes.”

Beatriz (14 anos)

111Image-1

Papo de adolescente: descobrindo o Planetário

images

Da série: Descobrindo BH com o Papo de Adolescente

Espaço do Conhecimento UFMG

Desde a primeira vez que estive no Espaço do Conhecimento UFMG, “tive uma queda” por aquele lugar. Já estive lá três vezes, mas sempre será como se fosse a primeira. Sempre descubro algo que complemente e enriquece meu conhecimento.  Já aprendemos desde como o universo se fez, até ao que os físicos e cientistas desvendaram sobre ele.

O Planetário é o ponto mais importante das exposições. O local consiste em uma pequena sala, onde são projetados filmes no teto, em forma de cúpula. Esses filmes discutem e ensinam sobre astronomia e/ou física e o que mais nos impressiona é que o formato do teto nos da a impressão de que estamos realmente dentro do céu.

Visitamos as exposições situadas no 2º e no 3º andar do espaço e além disso, vimos o filme “Terra Dinâmica”, que teve duração de 25 minutos.

Vale ressaltar que estes filmes nunca se repetem e possuem a qualidade 4D.

Graças ao Espaço do Conhecimento, hoje sonho em me tornar astrônoma e fazer grandes descobertas sobre este “magnífico estranho” que nos cerca.

fto

Descobrindo BH com o Papo de Adolescente

1
Fonte: mineiromildias.blogspot.com

Percebendo a vontade dos adolescentes em participar de atividades externas à AMR e conhecer um pouco mais sobre Belo Horizonte, nesse semestre, estamos com um novo projeto!

Nele, buscamos ampliar a participação dos adolescentes na comunidade por meio de atividades culturais e gratuitas.

Os encontros serão realizados mensalmente e os próprios adolescentes farão a busca de lugares, eventos e atividades no qual estão interessados em conhecer e participar.

Fiquem ligados em nossas próximas postagens, nelas iremos mostrar como foram os nossos encontros.

Até lá…

“Quantcha genti, quantcha alegria!!”

Mamonas-Assassinas-g-20100507

Esse pequeno trecho da música “Chopis Centis” da memorável banda Mamonas Assassinas define com muita eficiência o que é um shopping center – um local com muita gente e com muita alegria que oferece cinema, refeições e, principalmente, muitas opções de compra.

Quando eu era adolescente, eu sempre ia no “chopis centis” fazer compras com minha mãe, minha tia ou algum outro familiar, responsável por mim. Na boa, nem era tão legal. Todo mundo perguntava o que eu achava, mas no final compravam para mim o que elas quisessem, me convencendo de que aquela opção era a melhor. Meu sonho era sair, olhar a roupa que eu quisesse e comprar, sem interferência de ninguém. Mas tinha um porém muito importante… me faltava autonomia pois não tinha dinheiro para fazer compras!:/

Acredito que esta é uma realidade de muitos adolescentes. Assim, nós resolvemos criar um shopping dentro de uma sala na AMR para que os eles pudessem escolher o que quisessem, sem qualquer interferência e o melhor, de graça, pois assim todos teriam autonomia o suficiente para escolher, experimentar, levar o que quiser, sem interferência de ninguém. As roupas vieram de doações arrecadadas pelos profissionais envolvidos no grupo.

E foi um sucesso! Muitos adolescentes tiveram a primeira oportunidade de fazer suas próprias “compras” e todos saíram muito satisfeitos com suas roupas novas. Os pais chegaram no final, mas as roupas já estavam escolhidas e na sacola! A solução foi aceitar o que os filhos escolheram e levar para casa!

Esse aí é o resultado do dia de compras daqui! Só alegria!!🙂

20150703135836

Mãaae.. Quero trabalhar!!! Pode?!?

Trabalho

Dizem que adolescência é uma fase de transição. É quando as pessoas deixam de ser crianças e começam a busca pela vida adulta. Esta fase de vida envolve mudanças físicas, comportamentais e até mesmo de responsabilidade. Mas espera… Responsabilidade? Para um adolescente? Não, não, mudanças de responsabilidade envolvem ter obrigações maiores como trabalhar e um adolescente não pode trabalhar, ainda mais com deficiência… Ou pode? Será?!?

Há quem diga que sim!

E há ainda quem faça isto acontecer! Esse é o caso da ONG Rede Cidadã, que age como mediadora para vagas destinadas a adolescentes com deficiência em empresas privadas na cidade de Belo Horizonte, através do programa Rede Inclusiva. Na semana passada, a reunião do grupo Papo de Adolescente foi inteiramente destinada ao entendimento dessa possibilidade e, para isso, pessoas que trabalham na Rede Cidadã nos visitaram para falar um pouquinho do trabalho deles e de como os adolescentes podem ingressar no mercado de trabalho, mesmo com suas limitações.

O mais interessante de tudo é que tem vaga para todos. Isso mesmo! Todos os adolescentes têm habilidades, independente de qual seja ela. O papel desta ONG é descobrir qual a habilidade de cada um e alocar cada adolescente naquela função que mais se encaixa em seu perfil. Assim, todos podem ter acesso ao mercado de trabalho, com boas oportunidades!

Um dia esses adolescentes irão crescer, e aí? Um dia os pais podem não estar mais aqui para olhar por eles, e aí? Um dia eles podem querer se tornar independentes, sair de casa, se casar, e aí? O trabalho é algo que gera possibilidades de respostas para esses “e aís?”, além de levar a uma independência da qual todos precisamos, afinal, quando alguém te pergunta “O que você é? ”, o seu trabalho é o que te define.

Assim, ter a oportunidade de entrar para o mercado de trabalho, mesmo com limitações, é essencial para estes jovens que, muitas vezes, enxergam um futuro incerto. A possibilidade de começar cedo (14 anos) como aprendizes é incrível no sentido de diminuir esta ansiedade e começar a gerar este sentimento de dignidade, independência e responsabilidade que o trabalho provê.

A família é elemento essencial neste processo, uma vez que ela é a maior parceira para manter o adolescente dentro da empresa. É a família que vai ajudar na locomoção para orientar aqueles que ainda não sabem andar sozinhos pela cidade, é ela que vai dar todo o apoio emocional e vai orientá-los quanto ao serviço, às frustrações e até mesmo para melhorar dentro da empresa.

A palestra foi um sucesso. Pais e adolescentes adoraram e ficaram muito interessados no projeto. Já fizeram a inscrição ali mesmo e a empolgação ficou clara nos discursos:

“Eu queria começar a trabalhar agora”

“Fiquei com muita vontade de trabalhar. É uma boa oportunidade para mim, tanto para meu desenvolvimento, quanto para eu ter uma renda, ajudar na minha casa, poder falar que recebo meu próprio dinheiro e poder comprar minhas coisas sem ter que pedir para minha mãe. ”

A ONG está de portas abertas para quem quiser mais informações a respeito de datas, processos seletivos, inscrições e muito mais. Através do link http://www.redecidada.org.br/voce-na-rede/sou-pessoa-com-deficiencia/#form ou do telefone (31) 3236-1610, ou ainda do e-mail wandelza.valim@redecicada.org.br, qualquer um pode entrar em contato com a instituição e tirar todas as dúvidas.

Esses aqui em baixo somos nós, junto com nossos pais e convidados, lá na palestra! Foi TOP!!!

Rede Cidadã

Bullying!

Bullying

Olha lá! O menino apanhando!! kkkkkkk…

             Hoje em dia, este tipo de cenário, infelizmente, se torna cada vez mais comum nas escolas e entre os adolescentes. Esta prática, junto com o desrespeito ao espaço do outro, agressões físicas e verbais é o que chamamos de bullying. O que será que os próprios adolescentes pensam sobre este fenômeno?

          Já tem um tempo que este assunto foi discutido aqui no nosso grupo, mas como criamos o blog somente agora, aí vai um texto que o grupo fez, em conjunto, sobre a opinião de todos acerca do bullying.

“Eu sofri bullying e acho que…”

 … não é a coisa certa de fazer. Quem pratica o bullying deve procurar se colocar no lugar de quem está sendo agredido. Assim, não faria com o outro o que não gostaria que fizesse com ele mesmo.

Quem sofre bullying experimenta dos piores sentimentos, dor, angústia, tristeza, vergonha, desmotivação, frustração e podemos dizer que no fundo uma raiva no coração.

 Podemos nos comparar a uma folha de papel que, depois de amassado, nunca voltará a ser como antes. O bullying deixa marcas para toda a vida.

            Enfim, a vida é como uma floresta com dias ensolarados e felizes mas, quando se sofre bullying, estes dias podem ser escuros e tristes.

Eu queria namorar… mas… o que é isso?!? o.O

Namoro

Na verdade não quero falar disso… Namoro?? Ai, para… Que vergonha!!!

            Dar a mão, sair para comer um sanduíche, ir ao cinema, trocar olhares, perder o BV (boca virgem), se sentir apaixonado… Tudo isto faz parte da vida e deixa os adolescentes um pouco perdidos com relação ao que realmente é namorar. Quais desses tópicos configuram um namoro e quais são apenas de amizade? Será que existe algum ponto em comum entre ambos? Foi procurando estas respostas que o grupo Papo de Adolescente discutiu por três encontros o tema namoro.

            Encontrar as diferenças entre namoro e amizade foi difícil. Descobrimos que na verdade existem várias semelhanças e que as diferenças são bem poucas. Muitas opiniões se mesclaram para que pudéssemos chegar a esta conclusão, mas não vamos nos delongar muito e vamos deixar que os próprios adolescentes do grupo falem o que acham do namoro…

            Desta vez as falas vão sem identificação. O porquê é fácil de adivinhar: “Isso vai pro blog? Aaaai.. que vergonha!” “Pode publicar mas não coloca meu nome!” e por aí vai!!!

 “O amor é um sentimento intenso, capaz de te por nas nuvens e no chão ao mesmo tempo. Essa é a diferença: A amizade é branda ao coração, praticamente inofensiva. Já o namoro é forte, carregado de paixão, carinho e desejo.”

 “O namoro pra mim é ter companheirismo e confiança e a amizade pra mim é confiança e amizade.”

 “Namoro é intencional é mais nos sentimentos, mais fervoroso e a amizade é mais branda. Amizade é uma coisa de companheirismo e o namoro é relacionamento.”

 “Namoro é quando uma pessoa tem carinho, atenção, cuidado, sinceridade, responsabilidade, confiança para um com o outro e amizade não é um sentimento tão forte, mas tem que ter companheirismo, confiança, respeito, não magoar e tem que ser legal.”

 “Na amizade você leva seu amigo para baladas, para muita curtição e no namoro você leva a sua parceira para lugares mais sérios. Na amizade você não tem relações sexuais com seu amigo e no namoro você pode ter relações sexuais. Na amizade você não tem que marcar horário com seu amigo e no namoro você terá que comparecer nos horários marcados por ela. Na amizade você pode falar besteiras com seus amigos e no namoro você não pode falar besteiras. Na amizade, você não tem ciúmes de seu amigo e no namoro você não gosta que ela converse com outra pessoa. Resumindo… O namoro fica muito próximo da amizade, só algumas situações são diferentes.”

 “Amizade: respeito, amigo, colega, carinho e sinceridade. Namoro: Respeito, namorado, fidelidade, carinho, ternura, confiança e paixão.”

            Então é isso, gente. Acho que eles explicaram melhor que eu as difer… ops semelh… ops… ah, os dois, entre namoro e amizade!!🙂